Quantidade de Páginas visitadas

PERGUNTAS E RESPOSTA MAIS FREQUENTES


1 – O que vc chama de “elaboração da adolescência”?

  • Fazer um projeto de vida num mundo paradoxalmente comprometido.

  • Fazer opção por uma atividade laborativa (trabalho profissional remunerado)

  • Privilegiar o prazer lúdico (bem-estar pessoal, criatividade no trabalho, sentimento de liberdade, ações criativas)

  • Exercer a atitude adulta, assumir as responsabilidades individuais e sociais (direitos e deveres)



2 – Existe um período (idade) definida para isso?

  • Fisicamente pode-se definir aos 22 anos. Psiquicamente não tem-se determinação cronológica. É saudável que coincida em seus aspectos: físico, psíquico, social e intelectual.



3 – Será que nossos jovens estão preocupados com a personalidade que os outros pensam que ele tem?

  • Estão preocupados inconscientemente, com a identidade (com os traços identificatórios). Isso pode ser verificado no comportamento do adolescente de, rebeldia, acting-out, angústia, sofrimento, desequilibrio , instabilidade generalizada, alterações de humor.



4 – Ou será esta preocupação da identidade é com a verdadeira personalidade?

  • Preocupa-se com a identidade, pois são os traços identificatórios que constituem a personalidade.

  • Identidade é a consciência que Eu tenho de mim como uma pessoa no mundo. O que Eu sei sobre mim, como uma pessoa no mundo. Quem Eu sou no mundo.

  • A Identidade está sujeita a modificações constantemente depende, portanto, das identificações feitas pelo sujeito. As identificações acontecem nas relações com as pessoas, nos vínculos que o sujeito estabelece. Os vínculos são de natureza familiares, escolares, sociais.



5 – Num contexto de desenvolvimento da identidade verdadeira, pode o adolescente criar uma personalidade que ele gostaria que os outros pensassem que ele tivesse?

  • O que se busca é uma definção de personalidade. Estes aspectos referem-se aos papéis identitários sociais, que se encenam nas relações pessoais, como: aluno, professor, trabalhador, líder,...



6 – Seria duradoura esta personalidade?

  • O que é transitório são os traços de identidade.



7 - Na reflexão pode dizer que é uma firmeza de personalidade?

  • Toda a transformação da identidade é para dar firmeza, coerência, estabilidade para a personalidade. Visando desta forma a saúde mental e a qualidade de vida humana.



8 – Às vezes, o nosso próprio Eu, ou seja, quando assumimos o nosso Eu, acabamos incomodando algumas pessoas. Isso é bom ou ruim?

  • Quando assumimos verdadeiramente nosso Eu, vivemos em harmonia com as pessoas.

  • O Eu se constroem, se modifica, se equilibra nas relações com as pessoas. O Eu esta se definindo na infância. O Eu esta em crise na adolescência. O Eu integrado é a manifestação do ser adulto. Ser adulto implica assumir o Eu, verdadeiro, e viver em harmonia com as outras pessoas.



9 – Como o Policial Militar poderá dar limites ao alumo, se os pais são permissivos ou falham na sua educação?

  • Com atitudes educativas para viver em sociedade. Ações coerentes, claras, respeitosas para com o adolescente. Fornecer limites educativos e morais para um viver saudável e produtivo em sociedade.



10 – Que/qual consequência terá o aluno com esse limite imposto pelo Policial Militar?

  • Limites são importantes para o estabelecimento da identidade. Para a possibilidade de saber sobre o si mesmo, saber do seu Eu.

  • A autoridade diz respeito à colocação de limites, sem a qual a vida em sociedade não seria possível. A autoridade não se exerce, ela emana de quem possui. É base das relações entre pessoas “a liberdade de cada um termina onde começa o direito do próximo”.



11 – Qual a orientação para quando a família está desacreditada da criança/adolescente? Insistência no erro, achar que o sujeito não tem solução.

  • Não há como evitar-se conflitos, crises durante a vida, no convívio entre pessoas. Pois, premissas diferentes geram inevitavelmente confrontos. O que é viável, é reduzir as tensões existentes entre pais e filhos pelo mútuo reconhecimento dos direitos e deveres de cada um.



12 – Como despertar nos adolescentes uma necessidade de transformar a si mesmos e as realidades com as quais se relacionam, considerando que vivemos em uma sociedade onde quem não tem poder aquisitivo não é nada?

  • Trabalhar com o adolescente para que conheçam o seu poder interior (suas potencialidades e talentos pessoais)

  • Mostrar ao adolescente que as transformações acontecem com todas as pessoas. Que começam sendo crianças, depois adolescentes, adultos.

  • Acreditar que o que realmente importa para a humanidade são os valores das relações humanas.

  • Demonstrar que ser adulto traz ao sujeito equilibrio, saúde mental, saber sobre seus direitos e deveres na/com a sociedade. (“quero ser como ele quando for adulto”).

  • Aceitar como inevitáveis as contradições, as ambiguidades sociais e que amplificam as contradições do momento que atravessam os adolescentes.



13 – Qual a diferença entre personalidade e caráter? Onde a mudança é possível ou há maior facilidade de transformação.

  • A personalidade pode ser compreendida na equação personalidade = temperamento + caráter. Corresponde ao temperamento os traços herdados e ao caráter os traços identitários adquiridos. Trabalhar com o caráter para ter efeitos saudáveis a personalidade e sua interação coerente ao contexto sócio-cultural.


14 – Quando vc procura identificar com o grupo ou ações para ser aceito nesse grupo. Vc não estaria perdendo a identidade de si mesmo ou seja a consciência do Eu?

  • Considera-se que a adolescência é um período de muitas crises e transformações (físicas, sociais, intelectuais, psicológicas) para a pessoa. A adolescência prêve a crise de identidade, assim é “normal” que o adolescente busque identificações no grupo que possam ajudá-lo a saber sobre si mesmo. Muitas das atitudes do adolescentes são reações adaptativas para sua integração no mundo dos adultos














Validador

CSS válido!

Secretaria de Estado da Educação do Paraná
Av. Água Verde, 2140 - Água Verde - CEP 80240-900 Curitiba-PR - Fone: (41) 3340-1500
Desenvolvido pela Celepar - Acesso Restrito